Quando e como fazer a troca de ração

Compartilhar:


Pug deitado ao lado do comedouro
Como funciona o processo de troca?

A troca de ração é um movimento bem comum de acontecer quando temos um pet. Isso porque existem diferentes situações que justificam essa mudança. É importante saber, porém, como isso deve ser feito. Afinal, uma mudança repentina pode prejudicar o sistema digestivo do animal, causando enjoo, vômitos e até diarreia. Quer saber o passo a passo de como trocar de ração e ainda quando isso é necessário? Vamos lá!

Como trocar a ração gradualmente?

Veja, tudo é adaptação. O pet precisa se acostumar com o novo alimento. Por isso, jamais troque repentinamente. Como vimos, isso pode causar problemas gastrointestinais, mesmo quando a nova refeição for prescrita por um veterinário.

Primeiramente, separamos um passo a passo para a realização da troca. Sem que essa ação prejudique de alguma forma o pet, vamos lá:

  • No primeiro e segundo dia deverá ser a proporção de 25% do comedouro com a nova ração, e 75% com a antiga;
  • Nos dias 3 e 4, coloque 50% de cada uma delas;
  • No dia 5 e 6, 75% da nova ração e 25% da antiga.
  • A partir de primeira semana, 100% da nova. 

Quando a troca de ração é benéfica?

A melhor refeição para o seu pet é aquela que vai de encontro com o seu peso, porte e ainda idade. Afinal, em cada período da vida, os cães possuem necessidades distintas. Para além disso, existem algumas situações onde a troca pode ser necessária, sempre de acordo com o veterinário. Veja algumas delas:

  • Tratamento de doenças: as rações tradicionais são fabricadas levando em consideração a boa saúde dos cães que vão se alimentar. Em caso de tratamentos, por exemplo, é comum que o veterinário indique a mudança na alimentação. Nesses casos, a troca de rações também devem ser feitas de maneira gradual;
  • Falta de costume: pode ser que os cães tenham alergia ou simplesmente não se adaptem com algum ingrediente da ração. Nesses casos, o animal apresentará problemas digestivos com frequência e até a redução de apetite. Nesse caso, a troca deve ser realizada com calma, sem rupturas drásticas

É normal também que os tutores precisem trocar de ração, por conta de questões financeiras. Isso não é um problema. Entretanto, é indicado que, independente do motivo de troca, essa ação aconteça de acordo com o alinhamento veterinário. 

Por conhecimento técnico e com base em análises, o médico poderá indicar a ração ideal para ele. Considerando o seu porte, condicionamento e histórico. Jamais troque por conta própria sem antes uma observação profissional, certo?

Comedouro com ração
A troca de ração deve ser feita de maneira gradual.

E quando o cão não se adapta?

Nós conhecemos o nosso pet. E por isso, vale analisar como está sendo a recepção dele pelo novo alimento. Às vezes, eles podem estranhar nos primeiros dias, mas depois se adaptar. 

Com o passar do tempo, porém, ao perceber que o pet está apresentando dificuldades na adaptação com a nova ração mesmo quando a troca foi realizada de maneira gradual, o veterinário também é a melhor opção. Afinal, ele está preparado para compreender o que está levando a recusa do seu amigão por aquela alimentação. 

Gostou desse post? Leia mais sobre o tema em nosso blog:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

2 Comentários

  1. Francisca disse:

    Tenho 5filhotes pastor capa preta estão com 3semanas gostaria de saber se eles já pode comer ração

Deixe o seu comentário