Úlcera de córnea em cães: como tratar?

Compartilhar:


ulcera de cornea em caes

Problemas nos olhos, em geral, são bastante incômodos. Isso porque, principalmente para os animais, trata-se de uma área bastante sensível e que merece muita atenção quando algo não aparenta estar bem. E alguns problemas, em especial, requerem certa urgência para serem avaliados, como é o caso da úlcera de córnea em cães.

A doença, apesar de crítica, é classificada em diversos tipos, podendo variar de acordo com a gravidade, extensão e profundidade. E o tratamento, é claro, irá depender do caso específico do cãozinho. Sendo assim, continue lendo para saber mais!

O que é a úlcera de córnea em cães?

Também conhecida por ceratite ulcerativa ou úlcera corneana, essa doença ocular consiste, resumidamente, na lesão e inflamação das camadas da córnea, que ficam na área mais externa dos olhos.

A úlcera de córnea em cachorro pode ser classificada como superficial ou profunda, variando de acordo com o grau do ferimento. As superficiais não apresentam tantos riscos, cicatrizam mais rapidamente e causam menos desconforto ao pet. Porém, é importante ressaltar que ferimentos superficiais, se não tratados o mais rápido possível, podem se agravar e evoluir para uma lesão profunda.

Quais são as possíveis causas?

A úlcera de córnea em cães pode acontecer de diversas formas. Uma delas diz respeito à própria anatomia dos olhos do cachorro. Isso porque algumas raças são mais propensas a problemas oculares. Cães de raças como Pug, Shih-Tzu, Lhasa Apso e Bulldog francês possuem olhos mais arregalados e que, muitas vezes, não são cobertos completamente pelas pálpebras, permitindo, assim, maiores riscos de inflamações e lesões.

Outros fatores também podem acarretar em úlceras de córnea, tais como infecções oculares por vírus, bactérias e fungos; ferimentos causados por brigas com outros animais; objetos pontiagudos que tenham acertado os olhos; irritação por conta de alguma substância química (shampoos, por exemplo), dentre diversos outros fatores.

Além disso, vale ressaltar que uma simples coceira nos olhos pode evoluir para uma úlcera de córnea em cachorro. Isso porque, dependendo da forma e frequência que o cão vir a coçar os olhos, pode acabar resultando em uma inflamação.

Quais são os principais sintomas?

úlcera de córnea em cães

No geral, a úlcera de córnea em cães faz com que o pet apresente sintomas como: coceira e dor nos olhos; sensibilidade à luz; vermelhidão e dilatação dos vasos; lacrimejamento constante; diminuição do tamanho da pupila; edema ocular; opacidade da córnea; e deslocamento da membrana nictitante. Em casos de infecções mais graves, também é possível notar a presença de secreções, como pus.

Como tratar a úlcera de córnea em cães?

Primeiramente, é preciso que o problema seja diagnosticado por um profissional adequado. Assim que os sintomas forem notados, é preciso levar o pet imediatamente ao veterinário. Quanto mais rápido o cachorro for avaliado, mais chances de um tratamento eficiente ele terá.

E o tratamento em si, como já comentamos, irá variar de acordo com a gravidade da úlcera do seu pet. Mas, no geral, o veterinário poderá prescrever antibióticos e anti-inflamatórios em forma de colírio.

Além disso, é importante ressaltar: não medique o seu cachorro sem antes consultar um oftalmologista veterinário. Remédios caseiros ou feitos para uso humano estão fora de questão, ok? A única forma de assegurar um tratamento seguro e eficaz é com a ajuda imediata de um profissional.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário