4 dicas para adaptar seu gato a novos ambientes

9 de novembro de 2018

Gatos

Uma das características mais marcantes do gato é o comportamento territorialista, que faz com que arranhe e se esfregue nos móveis para marcar seu território. Por isso, é comum que sofra na hora de mudar de casa. Para facilitar esse processo, veja abaixo dicas para ajudar da adaptação de gatos a novos ambientes.

Transporte com cuidado e adaptação gradual ao ambiente

Segundo Daniel Calvo, médico veterinário, os felinos costumam ser individualistas, observadores e detalhistas. Com isso, ficam sensíveis a mudanças de ambientes, sons, odores e objetos. Uma simples visita ao médico veterinário ou a locais pouco frequentados podem deixar o animal estressado. “Ele pode deixar de se alimentar, apresentar lambedura excessiva, ter falta de pelo em determinadas regiões do corpo, ficar agressivo e inquieto e até demonstrar dificuldade para urinar – problema conhecido como Síndrome de Pandora”, explica.

De acordo com Nilton Abreu Zanco, coordenador do curso de medicina veterinária da Universidade Metodista de São Paulo, é fundamental transportar o felino cuidadosamente em uma caixa de transporte. “Se for possível, mantenha-o em um espaço reduzido, como um quarto, nos primeiros dias e, depois, aos poucos, permita que conheça todo o imóvel. Não se esqueça de proteger janelas e sacadas com grades ou telas de proteção”, afirma.

Como resolver o problema de adaptação dos gatos?


Infelizmente, não existem raças de felinos que se adaptam melhor à mudança de lar. Qualquer gato pode sofrer com a troca de ambiente, mas a personalidade é um fator determinante em relação ao estresse. Pets mais agressivos, por exemplo, tendem a ter mais dificuldades de adaptação. Calvo explica que não há um momento certo para fazer a mudança. “Uma dica para minimizar o estresse do animal é realizar a mudança primeiro e levá-lo por último. Outra solução é borrifar difusores de hormônios nos ambientes, que são identificados pelos felinos e tornam o processo menos doloroso”, conta.

Fique atento ao comportamento do bichano

É preciso ficar atento ao comportamento do gato, especialmente nos primeiros sete dias, quando os sintomas de estresse costumam surgir. Normalmente, ele se acostuma sozinho com a nova casa, mas, caso seja necessário, consulte um especialista para um tratamento mais específico. Para Calvo, um dos erros mais comuns é modificar a rotina ou os utensílios do gato. “Muitas vezes, isso pode provocar ainda mais desconforto e insegurança no animal. O ideal é manter a mesma caixa de areia, o mesmo alimento nos potes e levar brinquedos que ele já esteja acostumado”, conta.

Amor e atenção ao seu gatinho

É imprescindível que seja tratado com carinho e atenção. Um tutor que mantém uma ligação próxima com seu gato perceberá com facilidade se ele está feliz ou triste. “Nos meses seguintes após a mudança, o tutor deve ficar atento na alimentação e na higiene do gato.

Esses dois itens mostrarão se ele já se adaptou ou se há algo de errado. Caso haja, será necessário prosseguir com o tratamento indicado pelo médico veterinário”, conclui Zanco.

POR CAMILLA CHEVITARESE

Você tem alguma dúvida sobre como adaptar seu gato ao novo ambiente? Conte para nós nos comentários!