Por que tem barulho que cachorro não gosta?

Por Cobasi

Compartilhar:

Trovões, fogos, sirenes: existe muito barulho que cachorro não gosta. Mas você sabia que alguns pets sofrem tanto com barulhos que podem até mesmo adoecer ou se colocarem em situações de risco?

A verdade é que, apesar de terem um aparelho auditivo muito parecido com o nosso, a audição dos cães é bem mais poderosa do que imaginamos. O que nem sempre é uma vantagem, especialmente em um mundo tão barulhento. 

Entendendo o barulho que cachorro não gosta

Primeiro vamos responder uma pergunta simples: o que fazem os ouvidos? Ouvidos são estruturas que captam e traduzem as ondas sonoras de um ambiente.

Porém, enquanto os nossos ouvidos só conseguem captar ondas que variam entre os 20 e 20.000 hertz, o aparelho auditivo dos cães escutam tudo que está entre 15 e 40.000 hertz! É por isso que os famosos apitos de cachorro funcionam: eles emitem sons em frequências altas demais para nós, mas não para os peludos. 

Acontece que todo esse poder em captar sons pode ser um transtorno para alguns cachorros. Barulhos constantes e muito violentos podem deixar o animal em pânico. De fato, existe até um diagnóstico para essa condição: aversão canina a ruídos.

Embora cada animal tenha seu gosto específico em relação aos sons, cheiros e sabores, existem alguns barulhos que são especialmente incômodos aos cachorros. Se você suspeita ou já sabe que o seu pet não se dá bem com ruídos muito altos, então evite os sons que cachorros não gostam a seguir.

Raios e trovões!

Vamos começar pelo mais famoso barulho que cachorro não gosta: trovões. Na verdade, o medo dos peludos em noites de trovoada não se resume aos barulhos.

Os cães não só são ótimos em escutar, mas também conseguem sentir a pressão atmosférica. Além disso, cães de pelo longo podem acumular eletricidade estática e eventualmente tomarem pequenos choques.

Assim, a combinação entre um ar pesado e eletrificado, céus que mudam de cor, clarões de relâmpagos e o ruído dos trovões pode ser uma experiência assustadora para os cachorros. Quem tem um cãozinho com aversão a ruídos em casa sabe como o animal sofre em dias de temporal.

Fogos de artifício

A experiência dos fogos de artifício é parecida com a dos raios e trovões, mas sem a variação atmosférica, o escurecimento dos céus e os choques, é claro. Porém, enquanto o barulho dos trovões só acontecem de vez em quando, a queima de fogos de artifício podem ser longas e estridentes.

E aqui não dá para culpar a natureza. O estouro de fogos de artifício em dias ou eventos festivos é um fator cultural. São as pessoas que precisam entender que animais, crianças e idosos podem sofrer muito com esses barulhos.

Sirenes 

De modo geral, sons muito altos não vão agradar as sensíveis orelhinhas do cachorro. Além de barulhos explosivos como trovões e fogos de artifício, apitos estridentes e volumosos também incomodam muito os pets.

Seja uma ambulância, um carro de polícia ou um caminhão de bombeiro, as sirenes emitem sons muito altos que podem machucar até ouvidos humanos. Imagina então para os cachorros e sua audição supersensível? 

Cuidado com o ambient

Em resumo, os cães têm uma audição apuradíssima. Barulhos repentinos e estridentes como trovões, explosões, buzinas, sirenes e gritos podem assustar e estressar o animal. Caso seu pet tenha aversão a ruídos, procure deixá-lo em um cômodo silencioso e tranquilo até que os barulhos passem.

Ambientes muito barulhentos podem desencadear uma crise de pânico nos animais e até deixá-los doentes. Cuidar do ambiente sonoro também faz parte da atenção à saúde e bem-estar do animal e os tutores devem prestar atenção nesses fatores.

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário