Dermatofitose em gatos: o que é?

Por Cobasi

Compartilhar:
dermatofitose em gatos

Todo tutor já notou o seu gato se coçando algumas vezes, não é?! Isso é algo extremamente comum, mas não deve acontecer com muita frequência. Afinal, diversas doenças de pele podem acometer os felinos, e a coceira excessiva é apenas um dos sintomas. Uma dessas doenças, por exemplo, é a dermatofitose em gatos.

Caso você suspeite que o seu pet está sofrendo dessa doença, este artigo é pra você! Falaremos um pouco sobre as causas e os sintomas da dermatofitose. Vamos lá?!

O que é a dermatofitose em gatos?

De acordo com Marcelo Tacconi, médico-veterinário da Educação Corporativa Cobasi, trata-se de uma micose superficial muito comum entre os gatos e muito contagiosa. “Também é uma zoonose. A dermatofitose é considerada grave por enfraquecer o sistema imune do animal, deixando o pet suscetível a infecções secundárias.”

Os causadores da doença são um grupo homogêneo de fungos patogênicos que podem ser classificados em três tipos: Epidermophyton, Microsporum e Trichophyton, que, na maioria das vezes, é o causador do problema.

A dermatofitose pode afetar felinos de todos os tamanhos, raças e idades. Aliás, por ser uma doença contagiosa, os seres humanos que entram em contato com o fungo e que estejam com o sistema imunológico fragilizado também podem contrair a doença.

Portanto, caso o tutor tenha mais animais em casa, é preciso separar o pet contaminado dos demais. Também é fundamental separar objetos como vasilhas de comida e água, caixa de areia, etc. 

“Se houver outros gatos no ambiente, o ideal é isolar o animal com dermatofitose dos demais. Ademais, recomenda-se evitar fazer carinho no pet, ou, caso necessite ter o contato, é preciso fazer o uso de luvas”, informa o veterinário.

Como identificar o problema?

dermatofitose em gatos

Nos gatos, a dermatofitose caracteriza-se pela inflamação cutânea, marcada por pequenas zonas com queda de pelo, além da descamação de pele e prurido. Além disso, como os fungos causadores da doença se alimentam de gordura e queratina, é comum que os pets apresentem unhas e pelos quebradiços.

Mas, infelizmente, não é assim tão simples identificar o problema. Segundo o veterinário Marcelo, a dermatofitose em gatos é, por vezes, considerada uma doença silenciosa. Isso se deve ao fato de os gatos terem bastante pelos, logo, fica mais difícil identificar os sintomas na fase inicial. “Por ela ser silenciosa, muitas vezes os sinais acabam sendo reparados primeiro nos tutores e, durante a investigação, acabam relacionando o problema ao animal.”

E isso realmente acontece bastante! Alguns felinos têm uma pelagem mais longa e volumosa, o que dificulta muito a visualização da doença. Portanto, é normal que a identificação do problema ocorra somente quando o tutor começa a perceber em sua própria pele o surgimento de manchas com bordas avermelhadas, juntamente de coceira e descamação. Assim, quando o indivíduo busca o atendimento médico surge a possibilidade de o pet estar causando esses sintomas contagiosos. 

Qual é o tratamento?

“O tratamento no geral será feito por antifúngicos tópicos de escolha do médico-veterinário, podendo também ser associada a tratamento sistêmico – tudo irá mudar de caso para caso. Como não existem vacinas ou medicamentos preventivos, temos que pensar em alguns hábitos e cuidados com o pelo e a pele do animal para evitar essa doença”, explica Marcelo.

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário