Adotar gato: 5 coisas que você precisa saber

Compartilhar:


Adotar gato

O ato de adotar gato é sinônimo de ter companhia e muitas alegrias em casa. Ao dar um lar para um pet resgatado das ruas ou vítima de maus-tratos, você inicia uma relação repleta de gratidão e amor que vai durar por toda a vida.

Os felinos domésticos são conhecidos como animais independentes, que conseguem se divertir sozinhos. Por isso, são a escolha de muitas famílias que não ficam tanto tempo em casa.

Porém, se engana quem acredita que os gatos não precisam de muito carinho e de afagos. Mesmo sendo mais autossuficientes, esses animais adoram estar por perto e dormir no colo de seu humano preferido. Além disso, ele precisa de vários cuidados,

Portanto, se você pretende adotar um gato de estimação, é importante saber tudo o que ele precisa para que sua atitude seja responsável.

Separamos 5 coisas que você precisa saber antes de adotar gato. Confira:

1.     Ao adotar gato, você precisará de um médico veterinário

Se você resgatar um gato da rua é importante que o leve ao médico veterinário antes mesmo de ir para casa. Quando você adotar um gato de uma ONG, ele já terá passado por cuidados de um especialista.

Porém, fazer visitas periódicas à clínica veterinária faz parte dos cuidados com o seu animal. Animais adultos devem passar por consulta uma vez ao ano para avaliação e vacinação.

Filhotes devem ir todos os meses durante o protocolo vacinal. Após acabar esse processo, deve retornar após um ano para refazer a imunização. Animais idosos, ou seja, a partir de 10 anos, devem visitar o médico veterinário a cada seis meses para acompanhamento.

2.     Preparar a casa é importantíssimo

Antes de trazer um gatinho para morar em casa, é importante preparar o ambiente para que ele se sinta acolhido e esteja seguro. Vale ressaltar que essas dicas servem para gatos filhotes e gatos adultos.

Antes de qualquer coisa, é importante deixar o local seguro, por isso, instale telas em todas as janelas do seu apartamento. Em casas, verifique todas as rotas de fuga e coloque telas nos locais onde o gato poderia sair. Os gatos domésticos não devem ter acesso à rua, pois ficam suscetíveis à diversas doenças, aos maus-tratos e à acidentes.

Se seu lar está seguro, você já pode adotar um gato!

O próximo passo é preparar um local para o descanso do gatinho. Para isso, organize uma caminha ou toca, com uma almofada e alguns brinquedos para que o animal relaxe confortavelmente.

É muito importante que o pet também possua um lugar específico para se alimentar. Os gatos se incomodam facilmente com outros odores, portanto, lembre-se de deixar o comedouro e o bebedouro longe da caixa de areia.

Além disso, os gatos costumam ser animais exigentes na hora de beber água, o que pode acabar causando problemas no sistema urinário. Nesse caso, é muito importante cuidar para que a água do animal seja trocada com frequência. Em alguns casos, você pode utilizar as fontes para gatos. Esses acessórios são ótimos para colaborar com a hidratação do gatinho.

Não se esqueça de que os gatos também brincam, portanto, preparar alguns brinquedos para ele é fundamental. Entre os brinquedos preferidos dos felinos, estão a varinha, que ajuda o animal a resgatar seu instinto caçador. Os brinquedos educativos também são ótimas opções para distrair seu pet.

A higiene do gatinho é outro fator importante para promover a qualidade de vida do animal. Por isso é muito importante preparar um local adequado para que ele possa fazer suas necessidades sossegado. Além disso, esse local deve ficar o mais afastado possível da sua caminha e do local onde ele se alimenta.

Para preparar o banheirinho do seu pet, é fundamental ter uma caixa de areia com areia higiênica para gatos.

3.     Gatos são independentes, não antissociais

Gatinho abraçado com tutora

Não é incomum ouvir falar que a opção de adotar gato foi feita porque a pessoa fica muito fora de casa, viaja muito ou então não tem muito tempo, mas queria uma companhia. Gatos realmente são mais independentes quando comparados aos cães.

Além de exigirem menos atenção, eles também dão menos trabalho. Mas isso não quer dizer que não se sintam sozinhos, desestimulados e até depressivos se deixados com pouca atenção.

Por isso, antes de adotar um gato para fazer companhia, pense se você poderá acompanhá-lo.

Os gatos não devem ser deixados sozinhos durante as viagens e, quando o tutor estiver em casa, é importante dedicar algumas horinhas ao seu pet. Para quem adotar gato e trabalhar fora, o indicado é colocar arranhador e brinquedos para o pet se distrair enquanto estiver só.

4.     Adotar gato exige planejamento financeiro

É verdade que adotar um gato e manter o pet gera menos despesas do que um cachorro, mas mesmo assim é necessário fazer as contas. Os felinos têm alguns gastos periódicos principalmente com alimentação e higiene.

Opte sempre por rações de qualidade e adicione alimentos úmidos para aumentar a ingestão de líquidos, fator importante para manter a saúde o trato urinário do pet.

Quando falamos de higiene e saúde, os gastos recorrentes são em areia para gatos e antipulgas e vermífugos. É fundamental realizar a manutenção e a limpeza da caixa de areia para que o animal a utilize e não faça as necessidades em locais inadequados. Além disso, a areia higiênica deve ser trocada diariamente.

Fora esses gastos, o animal precisará fazer visitas anuais ao veterinário e é importante ter uma reserva em caso de emergências.

Quem adota gato gosta também precisa montar o enxoval do bichinho. Separamos os principais itens que você vai precisar:

  • Casinha
  • Caminha
  • Comedouro e bebedouro
  • Brinquedos
  • Arranhador e torre

5.     Adoção de gatos exige socialização

Embora os gatos aparentam ser animais calmos, eles costumam ser bichos bem territoriais. Portanto, antes de adotar um gato, é importante se preparar para a socialização dele com pessoas e os outros animais da casa.

Para os tutores que já possuem outros felinos e até mesmo cachorros em casa, a melhor forma de levar o gatinho para casa é integrando ele pouco a pouco com os outros animais. Afinal, uma apresentação brusca pode acabar em estresse.

Uma das melhores formas de integrar o gatinho à família, é ir apresentando ele aos poucos para o resto da casa. É importante permitir que os outros animais cheirem o novo bichano, porém, sempre com a sua supervisão.

Busque iniciar a socialização primeiro de forma visual, depois permitindo que os animais sintam o cheiro uns dos outros através de caminhas e brinquedos. Por fim, permita que eles tenham contato supervisionado. O processo pode levar meses, mas se feito da forma correta, seu pet terá uma socialização de sucesso.

Como adotar gato?

Agora que você já sabe as principais coisas para adotar um gato, que tal descobrir como fazer isso? A Cobasi tem parceria com dezenas de ONGs em todo o Brasil, que realizam eventos de adoção todos os finais de semana. Confira a nossa agenda para encontrar o mais próximo a você.

Gostou do conteúdo? Confira outras dicas e pratique a adoção responsável!

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário