Macaco de estimação: tudo o que você precisa saber

1 de abril de 2021

Fauna e Flora
Macaco de estimação: tudo o que você precisa saber

Se você sonha em ter um macaco de estimação, mas não sabe nem por onde começar, nesse artigo nós vamos passar algumas informações bem importantes sobre esses animais, os cuidados necessários, a legislação envolvida em uma posse responsável e muito mais.

Vem com a gente descobrir tudo o que você precisa saber para ter um macaquinho como seu companheiro!

Macaco e outros animais silvestres: cuidados antes de adquirir

O Brasil é um país continental, com uma diversidade incrível em sua flora e fauna. Infelizmente, por conta dessa diversidade, muitas pessoas de má fé praticam o contrabando de animais silvestres buscando apenas o seu próprio enriquecimento. Nesses casos, tanto o macaco quanto outros animais são capturados em seus habitats naturais, arrancados do convívio com outros da sua espécie, e frequentemente são separados de seus pais quando ainda são filhotes.

O transporte até o local da venda é feito sem qualquer tipo de cuidado com a segurança e o bem-estar do animal, e por conta disso muitos deles acabam por morrer ainda durante a viagem. Algumas vezes os compradores desconhecem que estão cometendo um crime, pois nem sempre o traficante ou o vendedor de animais silvestres tem aspectos claramente duvidosos, como um criadouro instalado em fundo de quintal com animais vítimas de maus-tratos.

Muitas vezes, são as lojas dos bairros nobres das cidades de todo o país que vendem esses animais que foram contrabandeados e que, logo que chegam à casa dos seus novos tutores, começam a apresentar problemas de saúde.

Por isso, antes de efetuar a compra de um animal silvestre, pesquise muito para ter certeza absoluta de que está negociando com um criador autorizado pelo Ibama. Só assim você poderá contribuir com o combate ao tráfico ilegal, que maltrata e tira a vida de tantos animais silvestres por todo o nosso país.

Espécies de macaco com comercialização legalizada pelo Ibama

Espécies de macaco com comercialização legalizada pelo Ibama

No Brasil, o Ibama autoriza a compra e venda de dois gêneros de macacos. São eles: o macaco sagui e o macaco prego. Os dois gêneros podem ser encontrados em criadouros legalizados, que comercializam apenas animais nascidos em cativeiro. Ou seja: dessa maneira, os macaquinhos não são retirados da floresta e postos à venda, eles já nascem nesses estabelecimentos destinados à comercialização.

Nesses casos, o estabelecimento deve apresentar uma documentação específica vinculando o animal ao Sisfauna, que faz parte do Ibama. O macaco recebe um microchip para que seja possível rastrear e monitorar a sua origem, o que também contribui para atestar a legalidade do estabelecimento. O macaco sagui é o mais comum de ser encontrado para comercialização e, neste gênero, podem ser encontrados o sagui de tufo branco (C. jacchus) e o sagui de tufo preto (C. penicillata).

Como cuidar de um macaco sagui

Como cuidar de um macaco sagui

Segundo o biólogo Tiago Calil Ambiel, consultor da Educação Corporativa Cobasi, se forem manejados corretamente, os macacos saguis podem viver até 15 anos ao lado do tutor e se tornar bons companheiros, mansos e carinhosos. Mas Tiago faz um alerta: “Se não há contato, podem estranhar, se tornar agressivos e até morder; portanto, cuidado”.

Para que um macaco de estimação viva feliz e saudável, é preciso criar um ambiente que seja o mais semelhante possível ao que ele encontraria na natureza. O viveiro não pode ser pequeno – pelo contrário, deve ser bem amplo, com galhos grandes distribuídos em todo o espaço, imitando a distribuição das árvores na natureza. Isso é muito importante, pois os macacos são exímios saltadores e precisam de espaço para exercitar esses movimentos.

É necessário colocar brinquedos de madeira e tocas nas partes altas do viveiro para que o macaco de estimação possa se manter ativo. Tiago Calil afirma, ainda, que é muito importante ocupar a maior parte do tempo desses animais, pois a falta de estímulos do ambiente pode levar o macaco a desenvolver depressão, o que o deixa mais suscetível a outras doenças.

A alimentação de um macaco de estimação

Os macacos são onívoros, ou seja, sua dieta no meio natural é muito diversificada e pode incluir flores, folhas, insetos, ovos de aves etc. Portanto, nada de oferecer apenas banana para o seu macaquinho! Invista nas saladas de frutas, verduras escuras, legumes e insetos, como as larvas de tenébrio. Você pode oferecer gelatina sem açúcar e uma ração específica também, para garantir que a alimentação do macaco seja balanceada e bastante completa. Faça a manutenção regular no viveiro e garanta que o espaço esteja sempre limpo, pois os alimentos consumidos pelo macaco tendem a apodrecer muito facilmente e isso pode atrair a presença de insetos e outros animais indesejados e que transmitem doenças.

Sobre os passeios, o biólogo Tiago Calil informa: “Passeios fora de casa não são bem vindos. Os saguis são muito ágeis, se eles fugirem dificilmente são capturados. É possível soltá-los dentro de casa, mas fique atento a frestas, portas e janelas”.

Como sempre recomendamos com qualquer animal, é preciso fazer consultas regulares a um médico veterinário. Com os macacos não é diferente, mas o ideal é procurar um profissional especializado em animais silvestres. O transporte na ida e volta do consultório deve ser feito em uma caixa de transporte para evitar sustos.

Por fim, Tiago faz o apelo: “Nunca deixe o seu sagui por longos períodos sozinho. Na natureza, esses animais vivem em complexos grupos familiares e como bons primatas precisam de contato e socialização. Com muita dedicação é possível manter um sagui de forma saudável. E, lembre-se, nunca compre animais ilegais!”

Gostou da leitura? Então confira mais alguns artigos selecionados para você: