Passeio com cães: 3 dicas para a prática

Compartilhar:


Decidir ser um tutor de pet é automaticamente se comprometer em oferecer a ele as melhores condições possíveis para seu bem-estar. Neste contexto, o passeio com cães se trata de um hábito indispensável, ao trazer benefícios tanto para a saúde quanto para a qualidade de vida dos peludos.

Certamente você já ouviu falar da importância da caminhada e do exercício físico para os humanos, certo? Pois bem, no mundo dos cachorros, o hábito de andar por aí funciona de maneira muito semelhante.

O passeio com cães pode ajudá-los a prevenir doenças como as cardiovasculares e as imunológicas, bem como aliviar questões mais sutis como o estresse e a ansiedade.

Este artigo se dedica a oferecer três dicas indispensáveis para que o passeio não apenas cumpra seu papel funcional. Mas que também sirva como um momento de alegria e cumplicidade entre você e seu amiguinho.

1 – Você guia. Mas no passeio com cães, são eles quem devem ditar o ritmo

Observar um tutor arrastando o pet pela rua, sem dar a ele uma mínima oportunidade para cheirar o poste ou um cantinho de parede é uma cena para lá de desagradável, não é mesmo?

Como você já leu no tópico anterior, o passeio com cães deve ir além do papel funcional a fim de que se constitua em um momento de alegria para os pets.

Por isso, é adequado que o tutor reserve tempo e paciência quando for caminhar com seu peludo. É claro que a guia está ali e deve ser usada para que o você possa protegê-lo de possíveis ameaças, como um pedaço de osso suspeito no meio da calçada.

Mas, fora isso, é importante deixar claro que o passeio é do cachorro. E não de seu tutor. Evite, portanto, sair com pressa e podar as iniciativas do pet. Isso pode ter efeito contrário e aumentar ainda mais o seu estresse.

2 – Faça seu cachorro perceber que a coleira é sua melhor amiga

Um cachorro habituado a passear com seu tutor expressa, em geral, uma excitação positiva ao observar a coleira. Afinal, ela simboliza que chegou a hora de explorar a rua com seu amigo humano.

Às vezes, no entanto, é preciso algum trabalho prévio até chegar nesse estágio. Alguns animais não se sentem confortáveis com a coleira e ficam inquietos, puxando-a com indisciplina em qualquer caminhada.

Para reverter o quadro, é importante estabelecer uma conexão entre os três agentes do passeio com cães: o tutor, a coleira e o próprio animal.

Como fazer isso? Use palavras de incentivo, evite arrastar o cachorro por aí e o faça perceber que aquela cordinha está ali apenas para garantir a sua segurança.

3 – Mantenha uma rotina de passeio

Estabelecer uma rotina frequente no passeio com cães é o melhor remédio para garantir o benefício da prática, bem como torná-la progressivamente mais prazerosa.

Afinal, como acontece com o exercício físico dos humanos, caminhar apenas um dia e passar outros três sem ver a rua não é suficiente para formar o ciclo virtuoso de bem-estar gerado pela atividade.

Além disso, a frequência do passeio é ainda a forma mais eficiente para romper barreiras como o desconforto com a coleira e a dificuldade de socialização com outros cachorros.

Se possível, o passeio com cachorro deve ocorrer diariamente, com duração entre 40 e 50 minutos!

Quer saber mais dicas sobre bons hábitos dos cachorros? Acompanhe o blog da Cobasi:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário