Vermífugos e Antipulgas: coisas que você precisa saber antes de escolher

12 de agosto de 2019

Saúde e Cuidados

Certamente três dos grandes inimigos de quem tem animais de estimação são os vermes, pulgas e carrapatos. Os três podem causar sérios problemas para seus pets e é essencial saber como proteger seus cães e gatos utilizando vermífugos, antipulgas e anticarrapatos. Assim, você evita uma grande dor de cabeça em casa e um grande incomodo para o seu pet.

O que são estes parasitas?

Estes parasitas se aproveitam do seu pet para sobreviver e causam problemas de saúde nele.

Para combater os vermes intestinais, seu animal precisa ingerir os vermífugos indicados por seu veterinário. Se uma infestação não for tratada, pet pode sofrer com problemas digestivos, imunológicos e também contaminar outros animais, inclusive seres humanos.

Já as pulgas e carrapatos ficam na pele e nos pelos do seu bichano. É provável que você já saiba bem a carinha deles, pois são parasitas comuns bastante comuns. As pulgas podem causar desconforto e irritação, mas em casos severos até anemia e transmissão de vermes e doenças. Já os carrapatos, que se alimentam do sangue do seu bicho de estimação, podem causar problemas ainda maiores. Inclusive, a transmissão de doenças seríssimas e perigosas.

Vermífugos, antipulgas e anticarrapatos: Como escolher?

Existem diferentes tipos de vermífugos para cachorro e gato, mas dois pontos são essenciais na hora de fazer sua escolha. Primeiramente, ele precisa funcionar para os principais tipos de vermes na sua região. Em segundo lugar, é necessário que ele seja fácil de administrar. Afinal, de nada adianta um super vermífugo que você não consegue dar para o seu pet de modo algum.

No caso de antipulgas para gatos e também para cachorros, há diferentes modos de administração. Por exemplo, existem coleiras com produtos que afastam os parasitas. Mas é preciso tomar cuidado na escolha, pois muitas dessas coleiras também trazem produtos químicos fortes demais, que podem fazer mal ao seu pet. 

Dois dos tratamentos mais eficazes e simples são fórmulas que você coloca na parte de trás do pescoço do seu animal – conhecidos como medicamentos de Uso Tópico – e os tradicionais antipulgas orais. O primeiro tipo mata pulgas em questão de horas ou até dias e previne que outras apareçam. Já os medicamentos orais matam pulgas em menos de uma hora, mas não previnem novas infestações.

Por fim, vale lembrar que há diversos medicamentos que matam e previnem novas infestações de pulgas e também de carrapatos. Assim, fale com o seu veterinário para facilitar a vida tanto do seu animal quanto a sua. Dessa forma, um remédio dois em um já resolve os dois parasitas.

Compostos químicos a serem evitados

Mas é preciso prestar atenção no remédio que você dá para o seu cão. Isso porque algumas marcas de antipulgas e anticarrapatos contêm produtos que matam os parasitas, mas podem ser fortes demais e fazer mal para o seu pet. Três substâncias em particular chamam atenção, e é melhor evitar:

  1. Tetrachlorvinphos: é um inseticida que pode causar náusea, tontura e, em casos extremos, até morte;
  2. Piretróides: pode causar problemas até em seres humanos, como coceiras, sensação de queimação etc;
  3. Piretrina: um inseticida natural que é relativamente seguro para humanos e cachorros, mas pode causar problemas em gatos. Melhor evitar.

No final, o mais importante é consultar o veterinário para juntos escolherem a melhor opção para o seu pet. 

Ficou com alguma dúvida? Escreva para nós nos comentários!