Babesiose canina: como prevenir e tratar a doença

Compartilhar:


babesiose canina

A babesiose canina é uma doença causada pelo protozoário Babesia SPP. Quando ele infecta o animal de estimação, torna-se um parasita das hemácias e acaba deixando o animal com quadro de anemia. 

A especialista Joyce explica que “o protozoário Babesia se aloja nas células sanguíneas causando anemia nos animais. A sua transmissão ocorre normalmente através de carrapatos infectados, e, raramente, através de transfusões sanguíneas de um animal doente para um animal sadio”.

Ela também contou que evitar com o que o cão tenha carrapatos é a melhor forma de prevenção contra a babesiose. No mercado pet existem diversos produtos que atuam com esse intuito, desde produtos de uso tópico (como pipetas, sprays e shampoos), uso oral (comprimidos) e as coleiras.

Além disso, é fundamental utilizar produtos no ambiente onde os animais vivem, visando matar possíveis ovos, formas imaturas e adultas do carrapato. Outro ponto importante é realizar a transfusão sanguínea com profissionais capacitados, que realizam testes periódicos nos animais e no material disponível em seu banco de sangue.

“O tratamento tem como intuito combater a Babesia através do uso de alguns antibióticos e terapia de suporte, com o uso de suplementos vitamínicos, transfusões sanguíneas, fluidoterapia e antibióticos para possíveis infecções secundárias”, finaliza a especialista.

Como o carrapato contrai o protozoário?

Ao picar um animal com o Babesia Canis, a fêmea do carrapato ingere o protozoário e acaba se infectando. Assim, ela deposita os ovos no ambiente já com o protozoário, dando início ao grande problema.

Conforme o desenvolvimento desses ovos, eles já irão crescer com o Babesia. Ou seja, conforme o aracnídeo se desenvolve, o protozoário migra para a glândula salivar e se multiplica. Assim, quando o carrapato picar um cão sadio para se alimentar, ele acabará infectando o animal com o microrganismo.

A transmissão do protozoário em questão ocorre por meio da picada de um carrapato infectado, junto de secreções salivares desses artrópodes. Ao entrarem na corrente sanguínea dos cachorros, parasitam os glóbulos vermelhos do sangue e se multiplicam, por conta da falta de espaço dentro dos glóbulos. Em seguida, as Babesias procuram novos eritrócitos para parasitar.

babesiose canina

Quais são os principais sintomas da babesiose canina?

Por conta da grande destruição das células vermelhas do sangue, o cachorro apresenta um quadro de anemia, assim como problemas na coagulação sanguínea. Outros sinais comuns são febre, letargia, perda de apetite, depressão, icterícia ou palidez nas mucosas.

Como ocorre o diagnóstico da babesiose canina?

O profissional realiza o diagnóstico da doença por meio de uma boa anamnese, capaz de observar os sintomas, vendo se há ou se houve uma infestação por carrapatos no animal em questão e também através de exames laboratoriais, como o esfregaço sanguíneo, que detectam a presença do parasita.

Como prevenir a doença?

A melhor maneira de eliminar a possibilidade de o seu cãozinho contrair a babesiose canina é utilizando carrapaticidas nos animais e também no ambiente. Afinal, dessa forma você garante mais segurança e proteção ao animal.

Joyce Aparecida Santos Lima

Colaboração de Joyce Aparecida Santos Lima

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário