Carrapato: Conheça tudo sobre ele e as doenças que ele provoca

Compartilhar:


cachorro com carrapato na orelha
As orelhas dos cachorros são os principais alvos do carrapato

O carrapato é uma ectoparasita da família dos aracnídeos. Com uma história de muitos séculos, essa praga é responsável por transmitir uma série de doenças, não apenas em cachorros e gatos, mas também em seres humanos. Por isso, foi criado um material com tudo o que você precisa saber sobre ele. Aproveite!

Tudo sobre o carrapato

O carrapato é considerado um Arachnida, fazendo parte da mesma família que as aranhas e dos escorpiões. Presentes em todos os continentes do mundo, esse parasita costuma se alojar em animais silvestres, domésticos e até em seres humanos durante a sua primeira fase da vida, conhecida como parasitismo.

Tempo de vida de um carrapato

O tempo de vida de um carrapato costuma variar de acordo com a fase que se encontra. O ciclo completo é composto pelas fases de ovo, larva, ninfa e adulta. O primeiro estágio de vida de um carrapato dura aproximadamente de 30 a 40 dias no corpo do hospedeiro, sendo conhecido como incubação.

O segundo ciclo de vida do parasita é chamado de larva e dura, em média, 10 dias. Nesse período elas absorvem o sangue do seu hospedeiro e preparam a sua transformação para o estágio de ninfa. A partir disso,  elas ganham autonomia para parasitar um animal de pequeno porte, crescer e se desenvolver..

As principais espécies de carrapatos

No Brasil existem algumas espécies de carrapatos bem comuns, geralmente aquelas que parasitam desde animais domésticos como gatos e cachorros, até animais de grande porte. Conheça mais sobre elas.

1. Carrapato-de-boi

Como o próprio nome já diz, esse tipo de carrapato tem como principal característica parasitar animais de grande porte, como o boi. Conhecido pelo nome científico de Boophilus microplus, ele é responsável pela transmissão da bebiose e por causar perda de peso, machucados no couro do hospedeiro e a diminuição da produção de leite.

2. Carrapato-estrela

O carrapato-estrela é uma espécie de parasita que normalmente se hospeda em animais de pequeno porte como aves, gatos, cachorros e, em alguns casos, os seres humanos. Podendo chegar ao tamanho de um feijão verde, o Carrapato-de-cavalo é o principal responsável pela propagação da febre maculosa.

3. Carrapato-de-galinha

Também conhecido como carrapato de galinheiro, esse tipo de parasita tem uma característica bastante peculiar. Por ser um animal noturno, ele passa o dia todo em seu esconderijo e só ataca a sua vítima o tempo necessário para se alimentar do seu sangue. A principal doença atribuída a ele é a bouba, que tem um efeito similar à sífilis em seres humanos.

4. Carrapato-vermelho-do-cão

carrapato estrela em close
O carrapato vermelho é a espécie mais encontrada em cães

Para quem tem pet em casa, seja ela cachorro ou gato, é uma espécie de carrapato que você deve se preocupar. Eles normalmente se escondem sob a pele no animal, preferencialmente próxima à região das orelhas e transmitem doenças como a babesiose e a erliquiose (a doença do carrapato), que em casos mais graves pode levar o pet à morte.

Carrapatos em cachorro: Como descobrir, tratar e prevenir

A presença de carrapatos em cachorro é um assunto sério, pois além de trazer uma série de incômodos ao seu animal, ele também pode causar doenças. Por isso, a melhor maneira de garantir a saúde do seu pet é identificar cedo a presença desse parasita. Saiba como agir para mantê-los longe do pet.

Como saber se meu cachorro tem carrapato?

Os carrapatos normalmente se aproveitam de épocas com temperatura elevada para parasitar o seu hospedeiro. Por isso, a melhor maneira de saber se o seu cachorro está com carrapatos é observar mudanças bruscas em seu comportamento em dias quentes.

O sinal mais comum de que seu pet pode estar com carrapato é a coceira. Se você perceber que seu amigo está se coçando mais do que o normal na região próxima às orelhas, patas, coleiras e no rabo, procure um veterinário.

Importante: Não é recomendado fazer a extração manual dos carrapatos do seu cachorro, pois esse é um processo delicado e que, se feito da maneira errada, pode ocasionar feridas no couro do seu pet. 

Carrapatos em cachorros: Saiba como tratar e prevenir

Se você percebeu que há carrapatos em seu cachorro, nada melhor do que começar um tratamento para garantir a saúde de seu animal, não é mesmo? E você pode fazer isso de algumas maneiras bem simples, como uso de sprays, shampoos, medicamentos e coleiras antipulgas. Descubra como cada uma funciona.

cachorro com pipeta conta carrapato
A coleira antipulgas além de combater, previne a presença de carrapato no cão

1. Coleiras antipulgas

Uma das maneiras mais eficazes de fazer o tratamento do seu pet e deixá-lo livre dos carrapatos é com as coleiras antipulgas. Feitas com um material leve, que pode ser colocado junto à coleira tradicional, elas contêm uma substância que mata os parasitas e também servem como prevenção, pois tem duração média de 6 meses.

2. Tratamento com sprays

Uma alternativa bastante comum usada no combate a carrapatos em cachorro são os sprays antipulgas e parasitas. A principal vantagem desse tratamento é que o tutor pode fazer a aplicação diretamente no pelo seco do pet, sempre no sentido contrário do crescimento da pelagem.

3. Shampoos

Os shampoos são uma ótima opção e tanto para livrar o seu pet de carrapatos de um jeito preventivo. Para quem decidir adotar essa opção, a recomendação é levar o animal até um pet shop de confiança e verificar com os especialistas quais são os produtos mais indicados para a raça do seu cachorro.

4. Medicação oral

Fazer o tratamento de carrapatos em cachorros por meio de medicação oral, é recomendada apenas em casos de infestação severa de carrapatos. Por isso, antes de administrar qualquer medicação ao seu amigo, procure o seu veterinário de confiança. Assim você garante o remédio ideal para o porte do seu pet. 

O seu cachorro já foi atacado por carrapatos? Conte para a gente qual tratamento usado para livrar o seu pet dessa praga.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário