Convivência entre animais: como acostumar dois pets a viverem juntos?

14 de agosto de 2019

Comportamento Animal

Então finalmente chegou o grande dia e você vai trazer o pet número 2 para casa. Mas como fica o seu animal de estimação que antes era único rei? Muita gente acredita que adaptar dois animais, principalmente cães e gatos, é tarefa difícil demais. Só que aqui você pode conferir nossas principais dicas para que seus dois bichinhos de estimação se dêem super bem! Leia mais sobre este assunto abaixo!

O que analisar antes de trazer o novo morador?

Antes de mais nada, existem algumas questões a se considerar antes mesmo de trazer um novo cão ou gato para sua casa. Por exemplo, seu pet já tem bons hábitos em casa? Sabe onde fazer as necessidades, não sofre com nenhum problema sério de comportamento? Isso porque cães e gatos tendem a pegar os comportamentos já estabelecidos pelo “irmão mais velho”.

E se os pets foram de espécies diferentes?

Entenda a personalidade do pet que você já tem em casa. Uma vez que você já tem um animal bem adaptado à sua casa e seus hábitos, tudo bem trazer um parceiro para ele! E, ao contrário do mito popular, adaptar cães e gatos, por exemplo, é super possível. Primeiro, vale a pena conferir a personalidade dos dois animais. Se seu gato é preguiçoso e gosta de ser deixado em paz, por exemplo, melhor não trazer um filhote energético e vice-versa. E, na medida do possível, tente encontrar um companheiro que encaixe com a personalidade ele.

Trazendo o pet para casa

As primeiras 24 horas são cruciais. Por isso, faça as apresentações quando você tiver certeza que vai poder monitorar os dois animais. Preste atenção na linguagem corporal deles. Parecem felizes ou estão rosnando? Separe os animais ao menor sinal de desconforto de qualquer um deles.

Principalmente nos primeiros dias, é sua tarefa evitar confrontos. Ou seja, separe os animais na hora da alimentação, não deixe biscoitos, ossinhos e brinquedos soltos pela casa se você não puder monitorar. Fique de olho durante as brincadeiras deles em busca de qualquer sinal de desconforto.

E, até eles se acostumarem um com o outro, deixe-os separados se tiverem de ficar sozinhos. O mais importante é que os dois animais tenham o máximo possível de boas experiências um com o outro. E, claro, o mínimo de experiências desagradáveis. Vale lembrar que outra questão essencial se você vai ter dois cães ou dois gatos de sexos diferentes, sem dúvida, é castrar os bichinhos para evitar cruzamentos indesejados.

Dicas para adaptar cães e gatos

Inegavelmente o clichê do ódio entre cães e gatos pode assustar os tutores. Mas fazendo uma boa apresentação entre os pets e cuidando da interação entre eles, é possível sim adaptar cães e gatos a viver juntos como família. Confira cinco dicas ótimas para ajudar nesse processo especial:

  • Se você está adotando um pet mais velho, pergunte para o dono anterior ou abrigo se ele já teve contato com outros animais e como foi. Se está pegando um filhote, apresente outros animais e experiências para o pet desde as primeiras semanas;
  • Pratique exercícios de controle de impulsividade com o seu cão, eles vão ajudar a evitar que ele queira perseguir o gato e ensinar autocontrole;
  • Deixe os dois animais cheirarem a cama e o “território” um do outro antes de eles se conhecerem pessoalmente;
  • Dê espaços seguros para os dois. Uma caminha para o cão e um monte de espaço vertical para o gato passear sem nem precisar ir para o chão. De preferência, mantenha a caixinha de areia do gato em um lugar que o cão não consiga acessar;
  • Não deixe de exercitar seus animais (tanto fisicamente quanto mentalmente) em um tempo especial reservado entre vocês dois apenas. Assim, evita que um cão entediado resolva brincar de pular em cima do gato. Ou que um gato que sente falta do estímulo com você se torne agressivo e impaciente com o cachorro, por exemplo.

E lembre-se: sempre que for necessário, contrate um treinador ou especialista em comportamento animal profissional! Mesmo antes de apresentar cães e gatos ou dois cães e dois gatos, eles podem fornecer dicas valiosas e te ajudar com os primeiros momentos de interação.

Em resumo, o principal é garantir que ambos os bichos se sintam confortáveis um com o outro e tenham também seu próprio espaço e tempo com você. 

Ficou com alguma dúvida sobre este assunto? Conte para nós nos comentários!