Gato com medo: saiba o que fazer para ajudar seu pet

Compartilhar:


gato escondido abaixo do tapete
O que fazer com gato medroso?

Cuidar de um gato com medo pode gerar muita frustração nos tutores. Mesmo recebendo todos os cuidados, amor e carinho, alguns animais ainda se sentem inseguros em algumas situações.

Apesar de cada situação ser delicada e exigir um manejo adequado, algumas dicas pode ser comuns em vários casos.

Continue a leitura e descubra como lidar com um gato medroso em diversas situações, como durante a queima de fogos de artifício, visita de desconhecidos ou, ainda, uma ida ao médico-veterinário.

Manejo básico para gatos

Gatos com medo exigem alguns cuidados especiais, mas existem alguns manejos básicos que se aplicam a todos eles. Isso garante a segurança, a saúde e o bem-estar do bichinho.

Durante situações adversas, os felinos podem fugir para a rua, onde ficam suscetíveis a diversas doenças sem cura, aos maus-tratos, acidentes, entre tantos outros riscos. Para manter seu pet em segurança, a solução é muito simples: coloque telas de proteção em todas as janelas do apartamento e da casa. O item auxilia tanto no dia a dia quanto em situações extremas, como a queima de fogos.

Além disso, enriquecer o ambiente do pet auxilia na redução do estresse e colabora para uma vida mais saudável. Aposte em arranhadores, camas, prateleiras, toca e outros itens para gatificação.

Como diferenciar o medo de outras características

Em primeiro lugar, é importante frisar que cada gatinho é um ser único e não há um traço de personalidade que seja comum a todos eles. É evidente que lidar com um gato medroso em casa levanta várias dúvidas, como saber se o bichinho é assustado naturalmente.

Além disso, nos dias atuais cada vez mais as pessoas têm procurado por auxílio profissional, com queixas semelhantes, como:

  • Meu gato tem medo de mim;
  • É comum gato com medo de outro gato?
  • Gato tem medo de fogos?

Mas há um detalhe que pode tranquilizar os tutores: os felinos são predadores que têm costume de vida selvagem, o que os leva a frequentemente estar atento a tudo.

Dessa maneira, é fundamental não confundir um gato com medo com um gato que está sempre alerta.

Caso o seu gatinho apresente outros traços como demonstrar estar constantemente inseguro e até mesmo agressivo, é possível que você tenha em casa um gato com medo.

Como identificar um gato com medo

gato pequeno afastado
O comportamento do pet pode demonstrar sua insegurança

É comum que tutores fiquem em dúvida se o seu animal de estimação é desconfiado demais ou apenas tímido.

Saiba quais são as principais características de um gato com medo:

  • Postura corporal – o modo como o seu pet age denuncia claramente o seu medo. Suas orelhas se posicionam para trás e o seu corpo se retrai;
  • Xixi em local impróprio – os felinos são muito higiênicos e, em seu habitat natural, se aliviam apenas na terra. Já no ambiente caseiro, encontrar um gato fazendo suas necessidades fora da caixinha da terra é um indício de medo;
  • Hostilidade – não é comum que o pet fique hostil ao próprio tutor, o que consequentemente se estende a pessoas estranhas e outros bichinhos. Caso isso seja uma rotina, fique atento.

Como ajudar o gato com medo

Além das dicas de manejo, que funcionam para os gatos em todos os momentos, existem técnicas que dão uyma ajuda a mais para seu pet superar essa fase. Tenha tranquilidade na proximidade do contato, deixe-o à vontade. Recompense com comida e carinho o seu bichinho quando ele superar uma condição de medo. Utilize o reforço positivo para recompensar o pet.

Ofereça locais para que o gato se esconda, como tocas, torres e até um armário com a porta aberta. Observe se o pet já não elegeu alguns espaços da casa como zonas de segurança e deixe o livre acesso dele.

Use produtos específicos para acalmar gatos, como Feliway. Esse recurso utiliza odores semelhantes aos feromônios para tranquilizar felinos.

Caso ainda assim seu pet permaneça sendo um gato com medo, procure auxílio profissional com um médico-veterinário, que irá avaliar todo o histórico de comportamento de seu pet e acompanhar de perto a sua evolução.

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário