Iguana verde: saiba tudo sobre esse animal exótico

Compartilhar:


A criação de pets pouco convencionais tem ganhado força no Brasil e no mundo durante os últimos anos. Por aqui, répteis como a iguana verde de destacam como um dos mais procurados, tanto por conta de seu comportamento dócil quanto pela relativa acessibilidade que tutores têm para encontrar animais legalizados pelo Ibama.

Com origem no continente sul-americano, esse pet silvestre pertence à fauna brasileira e pode ser encontrada de maneira abundante região amazônica.

A característica úmida e quente de seu habitat natural, aliás, se constitui em uma das pistas mais importantes para tutores que desejam criar a iguana verde em um ambiente que a propicie conforto e bem-estar.

Aprenda a reproduzir o habitat da iguana verde no terrário

Possuir um terrário estruturado é o primeiro passo para um ser humano que deseja criar uma iguana verde.

Como você viu anteriormente, este animal está habituado à umidade e ao calor amazônico, de modo que contar com mecanismos artificiais que possam reproduzir este ambiente é premissa indispensável. Sobretudo se considerarmos que, como todo réptil, este é um animal de sangue frio, que regula sua temperatura interna a partir do ambiente externo.

Dentro deste contexto, o terrário de uma iguana verde terá de contar com equipamentos como controlador automático termo-higrômetro, lâmpada com emissão UVA e UVB e a presença de troncos verticais.

O primeiro irá manter a temperatura do terrário estável, ajustando a variável da umidade a 80% e a temperatura média a 30ºC. Para fazê-lo de forma eficiente, este equipamento poderá estar conectado a um resfriador ou a um cooler.

A lâmpada com emissão UVA e UVB, por sua vez, terá a missão de replicar o papel do sol, elemento essencial para o bem-estar da iguana verde. Para replicar a iluminação equatoriana recebida pelo animal, este equipamento deverá ficar ligada pelo menos 12 horas diárias.

Em relação aos troncos verticais, eles são importantes para contemplar a característica arborícola do pet que, na natureza, tem o hábito de subir em árvores.

Levando-se em conta que a iguana verde poderá chegar a 1,80m de cumprimento, o tamanho do terrário também é um fator que merece atenção especial por parte dos tutores.

Alimentação do pet deve ser variada

Tal como ocorre com os seres humanos que optam por se tornarem vegetarianos, o fato da iguana verde ser um ser herbívoro não significa que seu cardápio deverá ser restrito.

Habituado à diversidade natural da região amazônica, o réptil adora saborear uma vasta gama de alimentos naturais como legumes, verduras, frutas e flores. Mais do que adorar, aliás, ele necessita dessa variedade para absorver os nutrientes necessários para uma vida saudável.

Confira abaixo algumas opções de alimentos que poderão compor a dieta de uma iguana verde:

Alguns legumes: abóbora, abobrinha, beterraba, pepino, pimentão, nabo, cenoura, rabanete (oferecer picado)

Algumas verduras: almeirão, brócolis, espinafre, rúcula, salsa, couve, coentro, escarola, agrião (oferecer inteiro ou picado)

Frutas: mamão, banana, maçã, pera, figo (oferecer picado)

Flores: A principal oferecida é a flor de Hibisco.

Além de suprir as necessidades do animal com alimentos naturais, é interessante que o tutor consulte um veterinário especialista em répteis na hora de montar a sua dieta. É possível que, por exemplo, o profissional indique suplementações alimentares, principalmente com base na complementação do cálcio.

Quer saber mais sobre os répteis? Acompanhe os posts do blog da Cobasi:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário