Bem-te-vi: saiba mais sobre essa ave

Compartilhar:


bem-te-vi

Você pode não ser especialista em aves, nem saber muito sobre o bem-te-vi, mas vamos arriscar dizer que você já ouviu falar de alguma lenda relacionada a ele pelo menos uma vez.

Há quem diga que quando o bem-te-vi canta é sinal de que vai chover. Outras pessoas acreditam que quando um bem-te-vi se põe a cantarolar no quintal ou jardim de uma casa, a mulher moradora dali está grávida.

Nesse artigo, vamos falar mais sobre um dos pássaros mais queridos e conhecidos do Brasil. Vem com a gente!

Características gerais do bem-te-vi

O bem-te-vi é considerado um pássaro de tamanho médio, podendo atingir entre 20 e 25 centímetros de altura na idade adulta. Seu peso fica entre 50 e 70 gramas. O bem-te-vi tem as penas das costas em tons de marrom, o peito bem amarelo e a cabeça tem uma linda faixa branca, que mais parece uma sobrancelha.

Seu canto é inconfundível: parece que ele está falando seu próprio nome! Por isso, os especialistas dizem que a origem do nome popular do pássaro é onomatopaica, ou seja, surgiu com base no som que o pássaro faz quando está cantando.

O bico do bem-te-vi é preto, longo e bem resistente, o que é perfeito para a sua alimentação.

Alimentação e reprodução do bem-te-vi

O bem-te-vi costuma comer principalmente insetos, mas também pode incluir outros alimentos na dieta. Alguns dos seus favoritos são as minhocas, as flores, girinos, crustáceos e pequenos roedores. Basicamente, é um pássaro que se adapta muito bem ao que está disponível ao seu redor.

O bem-te-vi é uma ave monogâmica, o que quer dizer que os casais passam a vida inteira juntos. Na época da reprodução, o ninho é feito de capim e raminhos de plantas, e geralmente fica bem protegido e escondido entre os galhos das árvores ou em buracos nos troncos das árvores. A fêmea coloca entre 2 e 4 ovos por vez.

Comportamento do bem-te-vi

O bem-te-vi é um daqueles animais que não se deixa intimidar pelo tamanho. Determinado e territorialista, o bem-te-vi pode se tornar até agressivo se a questão for proteger seu território e seu ninho.

A capacidade de adaptação do bem-te-vi é impressionante. Por isso, além do seu habitat natural nas matas, pode ser encontrado facilmente próximo a rios, praias, lagos e lagoas, além de estar amplamente difundido nas cidades.

Como todos os animais, especialmente os pássaros, o bem-te-vi tem um papel fundamental na disseminação de sementes em áreas como o cerrado brasileiro. A ave também ajuda a manter insetos e pragas do campo sob controle pois, como dissemos anteriormente, come de tudo. No entanto, os criadores de abelhas precisam ficar atentos para a presença do bem-te-vi na sua área, pois elas são um verdadeiro deleite para o bem-te-vi.

Criação em cativeiro

Por ser um pássaro silvestre, a criação do bem-te-vi em cativeiro só pode ser feita mediante expressa autorização do Ibama para isso. Tenha em mente que esse é um pássaro que voa livremente, então a gaiola ou viveiro precisa ter muito espaço para que o animal não fique doente nem venha a se machucar, batendo nas grades laterais.

Como sempre recomendamos aqui, faça uma extensa pesquisa antes de realizar a compra de um pássaro desse tipo para ter certeza de que você não está contribuindo com o tráfico de animais silvestres mesmo sem saber. Peça a documentação do estabelecimento e verifique tudo atentamente. Faça a sua parte para preservar a natureza e as espécies de animais.

Continue aprendendo com outros artigos selecionados para você:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

2 Comentários

  1. leonidia dias santana disse:

    tenho visto todos os dias um bem te vi no meu quintal – que é pequeno e só tenho algumas plantas em vasos . Orquídeas, antúrios, lagrima de cristo…eu o vejo no pau do varal, em cima de uma mesa de serviço e na escada, onde vejo fezes roxas e uma espécie de “bolinho” parecido com ração para cães, mas esfarela quando manuseado. Não tenho animais em casa.
    Adoro vê-lo, mas não sei o que fazer…gostaria de alimentá-lo.

Deixe o seu comentário