Doença do carrapato em humanos: prevenção passa pelo cuidado com o pet

Compartilhar:


A possibilidade de contágio da doença do carrapato em humanos aumentou o sinal de alerta em tutores em relação aos cuidados de prevenção.

Não bastasse a gravidade das complicações causadas por esse pequeno aracnídeo nos pets, o parasita também pode causar danos significativos no organismo do homem.

Conhecido como ‘Febre Maculosa’, a doença do carrapato em humanos é causada quando o parasita ficou entre 6 e 10 horas em contato com a pele da pessoa, para infecta-la com uma bactéria específica: a Rickettsia rickettsii.

Uma vez na corrente sanguínea, essa bactéria causa sintomas como febre alta, dor de cabeça intensa, dor muscular constante e calafrios. Se não tratada de maneira adequada, a doença do carrapato pode levar à morte.

Porque os cuidados com o cachorro também previnem a doença do carrapato em humanos?

Para poderem se reproduzir, os carrapatos necessitam do sangue de outros animais.

E embora eles possam sugar o sangue humano em caso de necessidade, nossa espécie não compõe sua lista de alvos favoritos.

Em geral, esses parasitas preferem animais peludos, como capivaras, bois, cavalos, ovelhas e cachorro.

Isso faz com que não sejam raros os casos nos quais a doença do carrapato em humanos surge logo depois que o pet da pessoa acabou passando por uma infestação.

Neste contexto, proteger o animal de estimação de um possível contágio significa estar também protegendo a si mesmo e as pessoas que convivem com vocês.

Como prevenir que os carrapatos infestem o seu pet

Já sabemos que o seu cachorro está entre os alvos preferidos do carrapato, por isso, evitar a sua infestação é a melhor forma evitar a contaminação de seus tutores pela doença do carrapato em humanos.

Agora, chegou a hora de descobrir algumas das principais atitudes a serem adotadas nessa prevenção!

Os carrapatos, em geral, costumam ocupar áreas com vegetação, como parques, jardins e terrenos baldios. Locais, que costumam ser comuns nas rotas de passeio dos pets.

Locais úmidos e quentes, como um cantinho de quintal, também podem servir de abrigos para esses indesejáveis aracnídeos.

Uma boa forma de evitar que seu cachorro seja infestado de carrapatos é sempre examinar seus pelos, quando for exposto a ambientes como esses, bem como pela manutenção de uma higiene constante do ambiente em que ele vive em sua casa.

Conforme prescrição de um veterinário de confiança, é possível também higienizar o pet com produtos carrapaticidas como xampus e sabonetes. Além de  recorrer a comprimidos antipulgas e carrapatos.

Quer saber mais sobre como cuidar de seu cachorro? Confira nas publicações do blog:

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário