Ganhe 10% OFF* na primeira compra. Use o cupom 10BLOG
*Limitado a um uso por CPF

O que são espécies endêmicas e porque temos que protegê-las?

| Atualizada em

Por Cobasi   Tempo de leitura: 7 minutos

Compartilhar:
Compartilhar:
espécies endêmicas

Imagine um animal ou planta que só existe em um cantinho específico do planeta, essa é a definição de espécies endêmicas. Explore com a gente uma jornada fascinante pela biodiversidade brasileira e conheça essa variedade de vida que encanta e surpreende.

Afinal, o que são espécies endêmicas?

Podemos definir uma espécie endêmica como: animais ou vegetais que ocorrem somente em uma determinada área ou região geográfica.

Isso acontece porque certas regiões possuem características individuais de clima, solo e até água distintas aos demais ambientes. Assim, selecionando as espécies que melhor viverão naquele bioma.

Portanto, quando falamos de endemismo, estamos referindo-se a uma espécie que apresenta uma distribuição geográfica limitada.

E como são essenciais para os seus respectivos ecossistemas, a proteção dessas espécies é muito importante. Principalmente, por causa da alta vulnerabilidade e ameaças de extinção.

Classificação do endemismo

No Brasil, podemos observar dois tipos de endemismo:

Endemismo Paleogénico

É quando uma espécie que foi bastante disseminada em tempos antigos permanece em uma área restrita. Exemplos mais conhecidos são as bromélias e os jequitibás.

Também podemos mencionar a Ginkgo biloba, que ocorria bastante nos períodos jurássico e cretácico. A planta ainda nasce de forma espontânea, apenas no sul da China. 

Endemismo Neogénico

Em suma, o endemismo neogénico está associado à evolução ou mutação de uma espécie mais recente, em que o grupo biológico não teve tempo para se disseminar para uma área mais extensa. Neste caso pode ser que ainda ocorra alteração geográfica.

Podemos usar como exemplo o mico-leão-dourado, um mamífero que vive exclusivamente na Mata Atlântica.

Espécies endêmicas da caatinga

espécies endêmicas da caatinga
A Catingueira (Caesalpinia pyramidalis) é uma das espécies endêmicas da caatinga.

No Brasil, a biodiversidade é representada em cores, formas e sons diferentes. Assim, as espécies endêmicas assumem um papel de destaque, sendo apreciadas em um único território.

A seguir, confira algumas espécies endêmicas presentes em cada bioma do nosso país. Vamos começar apresentando alguns animais e plantas da caatinga:

  • Catingueira (Caesalpinia pyramidalis);
  • Juazeiro (Ziziphus joazeiro);
  • Mandacaru (Cereus jamacaru);
  • Macambira (Bromelia Laciniosa);
  • Jurema-preta (Mimosa tenuiflora);
  • Tatu-bola (Tolypeutes);
  • Guigó-da-Caatinga (Callicebus barbarabrownae);
  • Sapo-cururu (Rhinella marina);
  • Perereca-de-capacete (Corythomantis greeningi);
  • Soldadinho-do-araripe (Antilophia bokermanni);
  • Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari);
  • Ararinha-azul (Cyanopsitta spixii);
  • Dourado (Salminus brasiliensis);
  • Pacamã (Lophiosilurus alexandri);
  • Curimatã–pacu (Prochilodus argenteus);
  • Surubim (Pseudoplatystoma corruscans). 

Plantas e animais endêmicos do cerrado

Beija-Flor-de-Gravata-Verde (Augastes scutatus)

O cerrado é detentor de uma das maiores biodiversidades do Brasil, ocupando mais de 20% do território brasileiro.  

Em média, as espécies endêmicas encontradas nesse bioma estão divididas em mais de 10 mil espécies de plantas. Já os animais são mais de 1300 espécies (199 mamíferos, 837 aves, 180 répteis e 150 anfíbios).

Conheça algumas espécies  do Cerrado:

  • Beija-Flor-de-Gravata-Verde (Augastes scutatus);
  • Gralha do Cerrado (Cyanocorax cristatellus);
  • Rato-de-Espinho (Carterodon sulcidens);
  • Rolinha-do-Planalto (Columbina Cyanopis);
  • Morceguinho-Do-Cerrado (Lonchophylla Dekeyseri);
  • Buriti (Mauritia flexuosa);
  • Pau-papel (Tibouchina papyrus);
  • Canela-de-ema (Vellozia squamata).

Plantas e animais endêmicos da Mata Atlântica

animais endêmicos da Mata Atlântica
Porco-do-mato (Tayassu tajacu)

A Mata Atlântica caracteriza-se por sua biodiversidade. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, existem cerca de 20 mil espécies de vegetais e 1690 espécies de animais.

Além do Pau-Brasil (Caesalpinia echinata) e o mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia), que são considerados espécies símbolo desse bioma, a diversidade de plantas e animais ainda conta com: 

  • Sapo-pingo-de-ouro (Brachycephalus ibitinga);
  • Porco-do-mato (Tayassu tajacu) ;
  • Macaco-guigó (Callicebus coimbrai);
  • Pintor-verdadeiro (Tangara fastuosa);
  • Macuco (Tinamus solitarius);
  • Onça-pintada (Panthera onca);
  • Harpia (Harpia harpyja);
  • Tucano (Ramphastos toco);
  • Papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis);
  • Muriqui (Brachyteles arachnoides);
  • Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris).

A Mata Atlântica representa uma das áreas mais ricas em biodiversidade no planeta. Não à toa detém o recorde de plantas lenhosas (angiospermas), com cerca de 20 mil espécies vegetais, sendo 8 mil delas endêmicas. 

Em comparação, em toda a América do Norte, são estimadas 17 mil espécies. Já na Europa há cerca de 12.500 e, na África, entre 40 e 45 mil.

Entre as principais vegetações endêmicas encontradas na Mata Atlântica, existem várias espécies de bromélias, orquídeas, samambaias, cedro, canela, ipê, jacarandá , jatobá, jequitibá, araucária, palmito-juçara, palmeira e cipós.

Plantas e animais endêmicos do pantanal

animais endêmicos do pantanal
Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus)

Estima-se que no Pantanal – um dos biomas mais ricos do planeta – existam cerca de 3.500 tipos de plantas, 650 de aves, 124 de mamíferos, 80 de répteis, 60 de anfíbios e 260 espécies de peixes de água doce.

Para você ter uma ideia da dimensão: se o Pantanal fosse um país, estaria ocupando a 39º posição dos países com maior biodiversidade do mundo.

Conheça 10 espécies endêmicas da maior planície alagada do mundo, o Pantanal:

  • Ariranha (Pteronura brasiliensis);
  • Onça-parda ou suçuarana (Puma concolor);
  • Cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus);
  • arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus);
  • Onça-pintada (Panthera onca);
  • Lobo-guará (Chrysocyon brachyurus);
  • Capivara (Hydrochoerus hydrochaeris);
  • Veado-catingueiro (Mazama gouazoubira);
  • Veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus);
  • Tuiuiu (Jabiru mycteria);
  • Garça-branca (Egretta thula);
  • Gavião-preto (Buteogallus urubitinga);
  • Gavião-de-Penacho (Spizaetus ornatus);
  • Curimbatá (Prochilodus lineatus);
  • Jaú (Zungaro jahu);
  • Piau (Leporinus piau);
  • Jacaré-do-pantanal (Caiman yacare);
  • Jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris).

Espécies endêmicas da Amazônia

espécies endêmicas da amazônia
Boto cor-de-rosa do Amazonas (Inia geoffrensis)

A Amazônia é a região que possui o maior número de espécies endêmicas do planeta. Sua fauna é extremamente rica e conta com mais de 30 milhões de espécies, distribuídas em cerca de 3.650.000 km² de florestas contínuas.

As principais espécies endêmicas da Amazônia são:

  • Anta (Tapirus terrestris);
  • Boto cor-de-rosa do Amazonas (Inia geoffrensis);
  • Arara Vermelha (Ara chloroptera);
  • Peixe-boi da Amazônia (Trichechus inunguis);
  • Coró-coró (Mesembrinibis cayennensis);
  • Jacaré-açu (Melanosuchus niger);
  • Jacaretinga (Caiman crocodilus);
  • Macaco-aranha-de-cara-branca (Ateles marginatus);
  • Mariposa-atlas (Attacus atlas);
  • Pavãozinho do Pará (Eurypyga helias);
  • Sucuri-verde (Eunectes murinus);
  • Suçuarana (Puma concolor);
  • Surucucu (Lachesis muta).
  • Gavião-real (Harpia harpyja);
  • Jararaca-Cinza (Bothrops jararaca).

Biodiversidade e preservação

A ação humana, emergências climáticas e o desmatamento de áreas naturais, são os principais fatores que têm afetado os ecossistemas, espécies da fauna e flora do planeta.

Com isso, não só os animais silvestres e vegetação, mas toda a humanidade está em risco. Nesse cenário, a diminuição do endemismo é uma forte ameaça à biodiversidade.

Diante disso, o Brasil, infelizmente, se destaca negativamente, pois diversas espécies endêmicas que estão seriamente ameaçadas de extinção

Em resultado, com a perda de plantas e animais, também perde-se o patrimônio genético, que afeta diretamente a dinâmica de tudo que engloba a biodiversidade. 

exemplos de espécies endêmicas
O endemismo é a diferença climáticas, barreiras físicas ou mesmo biológicas, que criar limites geográficos a uma espécie de animal ou vegetação.

Além de impactar na redução da diversidade biológica, compromete a sustentabilidade e a disponibilidade permanente dos recursos ambientais.

Por isso, é bom reforçar: a preservação das espécies endêmicas é uma responsabilidade de todos nós. E, essa preservação, também é uma forma de priorizar a vida no planeta. Afinal, não há diversidade sem vida e não há vida sem diversidade.

Cada um pode participar e contribuir ativamente para essa missão de preservação. Como? Aqui vão algumas dicas:

Apoie ONGs

Seu tempo, esforço e doação são importantes para organizações que trabalham na preservação das espécies endêmicas e do meio ambiente.

Conheça o trabalho das ONGs que estão envolvidas na preservação ambiental. Eles realizam um importante papel para o bem da natureza.

Fazendo um trabalho paralelo, a Cobasi Cuida, por exemplo, é uma iniciativa social da Cobasi, dedicada à causa animal. Com a missão de engajar a população com a causa animal de forma ampla.

Consumo Consciente

O uso de produtos ecologicamente corretos é uma forma de contribuir para a proteção do meio ambiente.

Cobrança de Políticas Públicas sobre as espécies endêmicas

Exija políticas públicas que atuem na proteção da biodiversidade e no combate às mudanças climáticas. A sua cobrança é essencial para que o governo crie objetivos e diretrizes que visam à conservação da natureza.

Endemismo

Gostou do conteúdo? Juntos, podemos proteger a natureza e as espécies endêmicas do Brasil, garantindo a preservação de animais e plantas para as futuras gerações. Se ficou com alguma dúvida, deixe nos comentários. Até a próxima!

| Atualizada em

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário