Doenças transmitidas pelo gato: saiba quais são

Compartilhar:


Existe uma série de doenças transmitidas pelo gato, algumas mais simples de tratar e outras com elevado grau de complicação. Conheça algumas delas agora e saiba como identificar os sintomas para iniciar o tratamento.

Toxoplasmose

Trata-se de uma doença superinfecciosa, causada pelo parasita “Toxoplasma Gondii”, tendo como hospedeiro definitivo os gatos não tratados, e intermediário, as pessoas. A transmissão da toxoplasmose ocorre através da inalação ou ingestão da forma infectante do parasita em questão. Isso se dá pelo contato com fezes de gatos infectados sem as medidas de proteção ou pela ingestão de oocistos do parasitas presentes no solo ou areia.

Alergia respiratória

O pelo dos gatos é uma das principais causas de alergia respiratória. Isso se torna visível por meio de sintomas alérgicos, tais como espirros, inchaço das pálpebras dos olhos, impasses respiratórios. Além disso, em casos mais graves, resulta em asma.

Por esse motivo, é recomendado que as pessoas que possuem alergia a gatos evitem o contato e não os tenha em casa. Assim, colocando sua saúde em primeiro lugar!

Infecção por Bartonella Henselae

A Bartonella Henselae diz respeito a uma bactéria capaz de infectar os gatos, transmitida através de arranhões feitos pelo animal. Isso faz com que essa bactéria tenha o nome de “doença da arranhadura do gato”.

Depois do arranhão, a bactéria entra no organismo e pode gerar infecções na pele das pessoas que contam com o sistema imune comprometido ao uso de medicamentos, doenças ou mesmo transplantes.

Se a saúde da pessoa estiver em dia, a infecção raramente será algo grave. Porém, é sempre importante prevenir, mantendo a distância de gatos ariscos, com costume de morder ou arranhar. Se o animal não gosta de brincadeiras, evite forçá-lo a fazer o que não quer.

Doenças transmitidas pelo gato comum: micose de pele

A micose de pele é uma das doenças transmitidas pelo gato mais comuns de acontecerem, e acontece através do contato da pele com gatos que vivem na rua ou que estão expostos a outros felinos. Dessa forma, quanto mais tempo expostos, maior é a probabilidade de adquirir fungos, transmitindo-os para as pessoas logo em sequência.

Para descartar o desenvolvimento de micoses (tratadas com antifúngicos conforme a orientação médica, como o Cetoconazol, por exemplo), é importante evitar o contato com os gatos que não estejam tratados.

Síndrome da larva migrans visceral

A síndrome da larva migrans visceral, também conhecida como Toxocaríase Visceral, é uma doença infecciosa causada pelo parasita “Toxocara Cati”, encontrado – com frequência – nos animais domésticos.

Sua transmissão para as pessoas ocorre por meio da ingestão ou contato com ovos desse parasita, presentes nas fezes do gato contaminado.

Esporotricose

A esporotricose é uma doença transmitida por meio de mordidas ou arranhaduras de um gato contaminado com o fungo causador do problema, sendo este o “Sporothrix Schenckii”. O tratamento pode ser feito com o uso de antifúngicos, tais como Tioconazol, sempre com orientação médica.

Quando o animal tem esta doença, torna-se comum surgirem feridas que não cicatrizam na sua pele. Quanto mais alto estiver o grau da doença, maior é a quantidade de feridas.

Se você perceber sintomas, pode ser alguma das doenças transmitidas pelo gato citadas acima. Dessa forma, antes de medicar seu felino, é de extrema importância procurar um veterinário, porque ele, mais que ninguém, saberá quais os primeiros passos a serem tomados.

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

Deixe o seu comentário