Caroço em cachorro: o que pode ser e o que fazer?

Compartilhar:


doença de pele em cachorro

Encontrar um caroço em cachorro pode ser assustador para os tutores. Mas calma, vamos te ajudar a entender como agir ao perceber alguma formação diferente no corpo do seu cachorro. Elas podem sim ser sinal de doenças graves ou não, mas você só vai saber se levar o animal ao médico veterinário. 

Então, o primeiro passo ao observar qualquer caroço é levar o seu animal ao médico veterinário. O medo de descobrir alguma doença grave, como câncer maligno, é muito comum. Mas independente de qual for a doença, o tratamento será mais eficaz se você agir rápido. 

Dependendo do caso, o médico pode já determinar a origem do caroço na própria consulta. Em outros casos, precisará de exames complementares para fechar o diagnóstico, como uma citologia ou ainda uma biópsia.                     

As elevações na pele do pet podem indicar infecções, hematomas, processos alérgicos, câncer, seja maligno ou benigno. Além disso, outras alterações também podem surgir por diversos fatores, como a obesidade, problemas glandulares e efeitos de injeções.

Aqui, vamos compartilhar algumas informações importantes sobre o assunto. 

Tipos mais comuns de caroços na pele

Abscesso: são as famosas infecções, resultantes de mordidas ou outros tipos de machucados, localizadas e com pus. Elas causam dor e inchaço na região afetada.

Linfonodos aumentados: Os linfonodos estão presentes em  todo o corpo do cachorro, mas os que podem ser identificados pelo tutor se localizam próximo à mandíbula, pescoço, axilas e virilhas. Além disso, alguns podem alcançar o tamanho de uma batata, e indicam a presença de alguma doença nos tecidos.

Histiocitomas: caroços benignos que surgem com mais frequência em filhotes. São pequenos, rígidos e do tamanho de uma botão. Normalmente surgem nas orelhas, na cabeça e pernas e somem com o tempo. 

Hematomas: quando o pet sofre algum trauma ou acidente e o sangue se acumula abaixo da pele, criando um leve calombo.

Tumores de pele malignos: São como machucados que nunca saram por completo, podem variar de tamanho e formato, a depender do tipo de tumor e tempo da doença.

Hiperplasia das glândulas sebáceas: São caroços benignos que surgem devido ao crescimento rápido das glândulas sebáceas que lubrificam a pele. Comum no torço, nas patas ou na pálpebra.

Verrugas: São múltiplas lesões arredondadas que fazem lembrar uma “couve-flor”. Comum nos humanos, ela pode também atingir os pets. Os filhotes de cachorro ou os cachorros mais idosos são os mais suscetíveis 

Diagnóstico de caroço em cachorro

Filhotes de cachorro depois da castração

Assim que perceber um caroço no seu amigo, é importante procurar um médico veterinário para que ele identifique a elevação e possa investigar, se necessário, as possíveis doenças associadas. O exame, num primeiro momento, é físico. O médico irá apalpar o corpo todo do animal, verificar a presença de carrapatos e picadas de inseto.  

É possível que faça também perguntas para entender se o animal teve alguma alteração na rotina ou passou por algum procedimento, como a vacinação. Às vezes, são necessários exames para ajudar no fechamento do diagnóstico.  Mas, o mais importante nesse processo todo é agir de forma rápida, mas sem se desesperar. Quanto mais cedo o seu pet iniciar o tratamento, maiores são as chances de recuperação. Talvez seja necessário o uso de alguns remédios como pomada, ou antibióticos, porém, isso só o veterinário pode prescrever.

Quer saber mais sobre outros cuidados importantes com a saúde dos pets além de caroço em cachorro? Leia os nossos posts:

Por Cobasi

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

2 Comentários

  1. Ana Cristina Passos Pereira disse:

    Minha cachorrinha tá com a pele vermelha e se cosa muito

Deixe o seu comentário