Ganhe 10% OFF* na primeira compra. Use o cupom 10BLOG
*Limitado a um uso por CPF

AVC em cães: causas e tratamentos

Colaboração de Joyce Lima | Médica-veterinária   Tempo de leitura: 3 minutos

Compartilhar:
Compartilhar:
avc em cães

O AVC em cães não é uma condição de saúde tão comum, mas quando acontece pode ser muito perigosa. Apesar de ter diversas causas, de um modo geral ele ocorre quando há falta de sangue no cérebro do pet.

Por ter um prognóstico bom, os cachorros que sofrem um AVC se recuperam bem, ficando com poucas ou nenhuma sequela. No entanto, é necessário um tratamento rápido. Por isso, é importante levar o pet a um veterinário logo que notar os primeiros sinais da doença. 

A veterinária Joyce Aparecida dos Santos Lima, da Educação Corporativa da Cobasi, vai nos ajudar a entender mais sobre derrame em cachorro e como ajudar o animal.

Conheça os tipos de AVC em cães e as principais causas

O AVC em cachorro é uma doença muito menos frequente do que o AVC em humanos. Calcula-se que a doença afeta apenas 2% dos pacientes que chegam às clínicas veterinárias.

As principais causas do acidente vascular cerebral são situações que modificam a forma de distribuição sanguínea no cérebro do pet, ou seja, quando ocorre interrupção na chegada de sangue ao encéfalo. 

Essa condição é conhecida como AVC isquêmico ou embólico, e pode ser causada por um trombo ou uma ruptura de vaso sanguíneo, que atrapalha o fluxo de sangue a chegar na região esperada.

Em alguns casos, a doença tem relação com problemas cardíacos, endocardite, neoplasia – ou seja, presença de tumores –, surgimento de coágulos provenientes de uma cirurgia, problemas de coagulação, doenças infecciosas como erliquiose ou até a migração de parasitas na região da cabeça. 

Quais são os sintomas de AVC em cães?

Uma das principais dúvidas é se um cachorro com AVC sente dor, contudo, os sintomas dessa doença podem variar.

Segundo Lima, “o tutor deve ficar atento quanto aos seguintes sinais neurológicos: convulsões, paralisia de um lado do corpo ou dos membros, febre, tontura, mudança na postura corporal e nos movimentos da cabeça e/ou olhos. Caso note qualquer um desses sinais, o tutor deve procurar ajuda especializada o quanto antes”.

De modo geral, os sinais clínicos neurológicos são os que mais prevalecem. Por isso, é muito comum que um cachorro que sofreu um AVC apresente quadros de convulsões; hemiparesia – paralisia em somente um lado do corpo; déficit de reação postural, dificuldade de manter a postura; hipertermia; tetraparalisia e movimentos os olhos e cabeça muito rápidos e involuntários.

Nos casos de AVC embólico, os sintomas de AVC em cachorro podem aparecer de forma brusca; já no caso do AVC hemorrágico ou isquêmico, eles podem apresentar um início retardado.

O que fazer para ajudar um cão com AVC?

avc em cães

Ao notar os sintomas de derrame em cachorro, o tutor deve deixar o pet em um local confortável para evitar quedas caso o animal convulsione. Após os primeiros sintomas, é indispensável uma consulta com o veterinário para receber o diagnóstico e tratamento correto da doença. O ideal é que o tutor procure um hospital veterinário ou centro veterinário para que o animal passe pela avaliação de um médico-veterinário neurologista.

Afinal, é esse profissional que solicitará os exames necessários para fechar o diagnóstico com plena certeza e instruir o melhor tratamento. “Geralmente são solicitados exames de sangue, urina e fezes, eletrocardiogramas, análise do líquido cefalorraquidiano e exames de imagem em alta definição – tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RM)”, afirma Joyce Lima. Além disso, os exames devem ser feitos com a ajuda de anestesia, uma vez que o animal não pode se mover durante o procedimento.

O tratamento para o AVC em cães pode variar, sendo comum o uso de medicamentos e terapias para recuperação de acordo com eventuais sequelas. 

Já a prevenção da doença consiste no aumento da qualidade de vida do cachorro, através da prática de atividade física, alimentação balanceada e das visitas esporádicas ao veterinário, assim como o uso de antipulgas e carrapatos

Joyce Lima | Médica-veterinária

Colaboração de Joyce Lima | Médica-veterinária

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

20 Comentários

  1. Vitoria disse:

    Muito obrigada. A nossa cachorrinha está fazendo exames, provavelmente ela teve um AVC, me deixa mais tranquila saber que ela pode nao ficar com sequelas..Estamos cuidando com o Amor que ela merece e precisa. Obrigada.

  2. Joseilma Rodrigues Lopes disse:

    Meu cachorro box tem 13 anos na último dia 26 de agosto sofreu um AVC ,porém ainda não voltou andar estou fazendo fisioterapia em casa e tenho visto que ele está reagindo bem , mechendo as patinhas mais sem forças de fica de pé quanto tempo dura pra ele se levantar ,está se alimentando bem e tomando vitamina

  3. Nelly disse:

    Minha Nina está com AVC. Não sei como ajuda la

  4. Maria do Socorro Bezerra da Costa disse:

    Meu Billy teve um AVC sexta feira,ele tem 12 anos e tenho muito medo dele ficar com sequelas, já está sendo acompanho por um veterinário.

    • Jaili souza disse:

      Minha cachorra te 13 anos,no dia de Natal devido os fogos ela passou mal eu cheguei em casa ela tremia e mal a dava tremia demais.
      Levei ela no veterinário fez hemograma completo e não deu nada e ela falou q pode ser algum problema neurológico passou remédio para labirintite,vitamina,antiflamatorio .
      Ela voltou a comer ,está escutando bem só tem um problema não latiu mais e está andando meia tortinha com a cabeça,mas só e na cama sofá.
      Gostaria de saber o que posso fazer para ela voltar ao normal 😕

      • Cobasi disse:

        Olá, Jaili! Como vai?

        Converse com o médico-veterinário de confiança, pois só ele poderá avaliar o grau de evolução do tratamento e indicar outras possíveis intervenções.

        Desejamos melhoras a sua cachorrinha! 🧡

  5. Luciana Martins disse:

    Olá, meu cachorro tem 17 anos sempre muito saudável, de repente teve uma convulsão, sem ter nenhum conhecimento fiz tudo o que a doutora Joyce Lima recomenda, meu cachorro passou por exames e avaliação neurológica, ficou internado por 04 dias agora segue com o tratamento com medicamento se recuperando em casa.

  6. Fabiana disse:

    Temos uma jovem senhorinha de 14 anos,( shinauzer). Nossa Chelsea teve um AVC na noite da última sexta feira (27/01/23), ficamos muito preocupados e ainda estamos, no sábado ela passou pelo veterinário que a medicou e irá acompanha lá, estamos nos adaptando a nova realidade, mas confiando que ela irá melhorar, e que as sequelas irão diminuir. É estranho vê la ainda muito bagunceira, mas com uma dificuldade enorme para andar (parece estar embriagada), corre cai, tomba ao lado dos móveis, o veterinário pediu repouso, a bichinha não para, sabemos que dará tudo certo

  7. Ladyana disse:

    Meu pet sofreu um avc e não está andando tem a possibilidade dele anda ?

    • Fabiana Sobrenome disse:

      Olá, como vai?
      Apenas o médico-veterinário acompanha seu pet pode fazer um prognóstico. Existem diversas terapias para associar com medicação que auxiliam na reabilitação.

  8. Anderson Duarte disse:

    Meu cãozinho tem 15 anos , problema no coração ,já está em tratamento,de x em qdo ele tem convulsão e berra alto,daí fica mole e vai voltando aos poucos no colo

  9. Carolina disse:

    Minha buldogue tem 4 anos. Ela é bem agitada, come 3 a 4 vezes ao dia. É saudável. Porém como não temos terreno fechado, durante o dia que estamos no trabalho ela fica dentro se casa, mas sempre foi assim. Hoje aconteceu algo estranho, ela paralisou, virou a cabecinha e ficou com os olhos vidrados por uns 15 segundos, num a tinha acontecido. O que pode ser? Um pouco antes ela estava correndo na rua, estava um dia quente.

    • Cobasi disse:

      Olá, CarolinaTudo bem?
      A nossa recomendação é que leve a sua cachorrinha ao médico-veterinário para garantir que está tudo bem, pois somente o profissional é capaz de diagnosticar o animal.

  10. Cristina disse:

    Minha cachorrinha de 15 anos, sofreu um AVC em Janeiro/23, assim q notámos que não estava bem foi levada ao veterinário, ficou internada por 3 dias, foram dias difíceis sem ela no nosso convívio… além das medicações ela começou a fazer acupuntura (que fez toda diferença) por 3 meses fazia uma vez semana, pois ficou tortinha e após esse periodo faz acupuntura a cada 21 dias, está boazinha, melhorou muito a questão do equilíbrio, só que continua dando voltas em círculo, será que existe algum medicamento que pode melhorar essa condição?

    • Cobasi disse:

      Cristina, estamos felizes pela sua cachorrinha.🧡
      Recomendamos que consulte um veterinário, pois só o profissional poderá te ajudar com isso, bem como, receitar uma medicação.

  11. Isabel disse:

    Muito triste sabemos que eles sao nossa vida e muitas.vezex nao podemos pagar una tomografia porq e nem tato tem condições de pagar 1,000,00 porq fies a tomografia ainda tem exame de sangue eletro gadiogra tudo isso e muito caro vc se apertar mais tem horas que nao da so Deus pra ajudar to passando por isso aqui

  12. Isabel disse:

    So falo assim todos o exames sao muito caros e na maioria das vezes vc nso tem condições tipo eu

Deixe o seu comentário