AVC em cães: causas e tratamentos

Compartilhar:


avc em cães

O AVC em cães não é uma condição de saúde tão comum, mas quando acontece pode ser muito perigosa. Apesar de ter diversas causas, de um modo geral ele ocorre quando há falta de sangue no cérebro do pet.

Por ter um prognóstico bom, os cachorros que sofrem um AVC se recuperam bem, ficando com poucas ou nenhuma sequela. No entanto, é necessário um tratamento rápido. Por isso, é importante levar o pet a um veterinário logo que notar os primeiros sinais da doença. 

A veterinária Joyce Aparecida dos Santos Lima, da Educação Corporativa da Cobasi, vai nos ajudar a entender mais sobre derrame em cachorro e como ajudar o animal.

Conheça os tipos de AVC em cães e as principais causas

O AVC em cachorro é uma doença muito menos frequente do que o AVC em humanos. Calcula-se que a doença afeta apenas 2% dos pacientes que chegam às clínicas veterinárias.

As principais causas do acidente vascular cerebral são situações que modificam a forma de distribuição sanguínea no cérebro do pet, ou seja, quando ocorre interrupção na chegada de sangue ao encéfalo. 

Essa condição é conhecida como AVC isquêmico ou embólico, e pode ser causada por um trombo ou uma ruptura de vaso sanguíneo, que atrapalha o fluxo de sangue a chegar na região esperada.

Em alguns casos, a doença tem relação com problemas cardíacos, endocardite, neoplasia – ou seja, presença de tumores –, surgimento de coágulos provenientes de uma cirurgia, problemas de coagulação, doenças infecciosas como erliquiose ou até a migração de parasitas na região da cabeça. 

Quais são os sintomas de AVC em cães?

Uma das principais dúvidas é se um cachorro com AVC sente dor, contudo, os sintomas dessa doença podem variar.

Segundo Lima, “o tutor deve ficar atento quanto aos seguintes sinais neurológicos: convulsões, paralisia de um lado do corpo ou dos membros, febre, tontura, mudança na postura corporal e nos movimentos da cabeça e/ou olhos. Caso note qualquer um desses sinais, o tutor deve procurar ajuda especializada o quanto antes”.

De modo geral, os sinais clínicos neurológicos são os que mais prevalecem. Por isso, é muito comum que um cachorro que sofreu um AVC apresente quadros de convulsões; hemiparesia – paralisia em somente um lado do corpo; déficit de reação postural, dificuldade de manter a postura; hipertermia; tetraparalisia e movimentos os olhos e cabeça muito rápidos e involuntários.

Nos casos de AVC embólico, os sintomas de AVC em cachorro podem aparecer de forma brusca; já no caso do AVC hemorrágico ou isquêmico, eles podem apresentar um início retardado.

O que fazer para ajudar um cão com AVC?

avc em cães

Ao notar os sintomas de derrame em cachorro, o tutor deve deixar o pet em um local confortável para evitar quedas caso o animal convulsione. Após os primeiros sintomas, é indispensável uma consulta com o veterinário para receber o diagnóstico e tratamento correto da doença. O ideal é que o tutor procure um hospital veterinário ou centro veterinário para que o animal passe pela avaliação de um médico-veterinário neurologista.

Afinal, é esse profissional que solicitará os exames necessários para fechar o diagnóstico com plena certeza e instruir o melhor tratamento. “Geralmente são solicitados exames de sangue, urina e fezes, eletrocardiogramas, análise do líquido cefalorraquidiano e exames de imagem em alta definição – tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RM)”, afirma Joyce Lima. Além disso, os exames devem ser feitos com a ajuda de anestesia, uma vez que o animal não pode se mover durante o procedimento.

O tratamento para o AVC em cães pode variar, sendo comum o uso de medicamentos e terapias para recuperação de acordo com eventuais sequelas. 

Já a prevenção da doença consiste no aumento da qualidade de vida do cachorro, através da prática de atividade física, alimentação balanceada e das visitas esporádicas ao veterinário, assim como o uso de antipulgas e carrapatos

Joyce Lima

Colaboração de Joyce Lima

Compartilhar:

Você pode gostar de ver também…

1 Comentário

  1. Vitoria disse:

    Muito obrigada. A nossa cachorrinha está fazendo exames, provavelmente ela teve um AVC, me deixa mais tranquila saber que ela pode nao ficar com sequelas..Estamos cuidando com o Amor que ela merece e precisa. Obrigada.

Deixe o seu comentário